Filinto @ 19:52

Ter, 13/10/09

Em Valongo, concelho da Área Metropolitana do Porto, Interior mas da segunda área metropolitana do país, Tino de Rans, candidato independente, obteve 4,96% dos votos contabilizados, no caso 2.328 eleitores. Ficou à frente da CDU e do Bloco de Esquerda.

 


música: Put it On - Manu Chao, La Colifata



FuckItAll @ 19:37

Ter, 13/10/09

 

que eu não vos faço mal... vou só acabar com isto.

 


sinto-me:


Filinto @ 19:32

Ter, 13/10/09

99 Posse, com MEG.

Camaradas (e digo-o como na tropa, nada a ver com isto)  dêjotas, lamento mas só tenho a versão pirata.





Menina Limão @ 16:16

Ter, 13/10/09

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

 

Eu e todas as mosquinhas mortas deste mundo a fazer a festa.

 

(homicídios da autoria de Magnus Muhr)


sinto-me: morta viva


Sr. Rocha da Internet @ 14:36

Ter, 13/10/09

Aproveitando esta onda de despedidas, e porque temos de colocar aí um cartaz, faço também um balanço desta maratona eleitoral. Foi, certamente, o pior ano da minha vida. E devo isso a todos os apoiantes de José Sócrates que, com uma elegância impar, foram criticando a falta de nível no debate político dos seus opositores. Se tem algum jeito criar um blog contra o PS... De louvar é um blog como o Simplex, onde nunca se disse nem uma palavrinha que fosse sobre os adversários. Lembra, aliás, os discursos de José Sócrates quando este criticava os oponentes pela maledicência e ocupava, desta forma, metade do discurso. E nos jornais a mesma coisa. O Público, esse monte de esterco com agendas escondidas, ao invés do Diário de Notícias, esse poço de integridade, isenção e independência - os famosos 3 i's do DN.

Ficámos todos esclarecidos que o país se divide em 2 tipos de pessoas: as que apoiam Sócrates (ou o casamento entre pessoas do mesmo sexo) e os outros filhos da puta. O bem e o mal, portanto.

 

Outra marca desta jornada foi a tónica dos discursos políticos. Os problemas do país? A governação do PS em 4 anos? As soluções para enfrentar a crise e combater o desemprego? Não. Nada disso. A tónica esteve em Cavaco Silva e em Salazar. Eu próprio cheguei a perguntar ao presidente da minha assembleia de voto onde estava o quadradinho para deitar no Salazar.

 

A figura política que eu gostaria de destacar é Eduardo Correia, o grande líder do MMS que, entre muitas outras actividades, fez uma maratona de marcha atrás. Uma pessoa muito bem resolvida, graças a Deus nosso Senhor.

 

O balanço é claramente negativo porque houve gente a mais a fazer humor, mesmo que involuntário. E isso tirou-nos muito material. Cada frase dita nesta campanha, seja de candidatos ou apoiantes, foi uma punch line.

Queria aqui agradecer publicamente a três entidades: à entidade Carolina Patrocínio, à entidade empregada de Carolina Patrocínio e ao Correio da Manhã. Pronto, e ao Miguel Vale de Almeida também - a Zita Seabra da esquerda moderna e sofisticada e esclarecida e vanguardista e tudo e tudo e tudo.

 

Entretanto, a causa Maitê Proença parece que vai ter mais aderentes que a nossa. Mas, pronto, a vida é assim mesmo. Temos todos de saber reconhecer o nosso lugar e o nosso valor.

 

Se isto fosse um blog de política à séria, onde se ganha e se perde, onde as pessoas lutam furiosamente contra a falta de democracia e liberdade que o regime fascista e opressor que vigora em Portugal desde 1143 vai impondo à pobre classe operária da Lapa e das Antas, acabaria com o vídeo do Tanto Mar do Chico Buarque e o título deste post seria "foi bonita a festa, pá". A seguir trocaria dezenas de e-mails com os meus camaradas de blog numa choradeira sem fim a gritar liberdade! liberdade! liberdade! e acabaríamos todos numa grande festa no Fágil na Sexta-feira, dia 16, pelas 23h. Mas isso era se nós fossemos um blog de política à séria...

 

Não ficaria descansado se não terminasse dizendo que a culpa desta merda toda é do Capitão Haddock.

 

 

Adeus e até ao meu regresso.

 





capitão haddock @ 01:45

Ter, 13/10/09

Passadas mais de 24 horas sobre o acto eleitoral, urge fazer uma análise séria e rigorosa aos resultados das eleições autárquicas.

Há questões que ficaram por responder. Devem os resultados para as autarquias ter uma leitura política nacional? Por que votam os munícipes e fregueses nos seus represantes mais directos ao nível local? O candidato assassinado no Ermelo ainda tem hipóteses de ganhar quando reabrirem a urna? O que é o Bloco de Esquerda?


A dinâmica do voto nas autarquias é menos dependente do poder central e mais do cacique, dirão os mais afoitos. Uma análise mais cuidada tenderá a asseverar que os cidadãos e aldeãos de Portugal (e mesmo os de Gondomar) votam em quem mais confiam para guiar os destinos das respectivas câmaras municipais com base no número de rotundas, independentemente da cor política em favor da simpatia que consegue criar no eleitorado.


Como é óbvio, todas essas explicações, apesar de correctas, estão rotundamente (rotundamente, viram?) erradas.


A verdade, escamoteada pelos comentadores políticos da nossa praça, e pelo Pacheco Pereira, é que os eleitores votam num determinado candidato com base no potencial de comicidade do seu nome.


Façamos uma resenha - sempre quis fazer uma resenha e este parece-me o momento oportuno - de alguns dos eleitos para a Presidência de Câmaras Municipais.

(Respirar fundo. Vamos lá.)


Litério Marques (Anadia)
Ribau Esteves (Ílhavo)

Messias do Rosário Sebastião (Almodôvar)
João Penetra (Alvito)

Pica Tereno (Barrancos)

Galinha Orelha (Cuba)

José Maria Prazeres Pós-de-Minas (Moura)
Prazeres do Carmo (Ourique)
Couto e Cepa (Esposende)

Beraldino Vilarinho Pinto (Macedo de Cavaleiros)

Barata Frexes (Fundão)

Cachucho Rocha (Idanha-a-Nova)
Domingos Bicho Torrão (Penamacor)

Maria Barata Joaquim (Vila de Rei)
João Vidaurre Pais de Moura (Cantanhede)

João Albino Rainho Ataíde das Neves (Figueira da Foz)

João Maria Reigota (Mira)

João Maria Aranha Grilo (Alandroal)

Ângelo João Guarda Verdades de Sá (Borba)

José Ernesto Ildefonso Leão d'Oliveira (Évora)

Santinha Lopes (Mourão)

Bernardino Bengalinha Pinto (Viana do Alentejo)

Luis Filipe Braguêz Caldeirinha Roma (Vila Viçosa)

Desidério Silva (Albufeira)

Sebastião Seruca Emídio (Loulé)

António Paulo Jacinto Eusébio (S. Brás de Alportel)

Esmeraldo Saraiva Neto Carvalhinho (Manteigas)

Rui Novo e Rocha (Ansião)

Aristides Lourenço Sécio (Cadaval)

Maria da Luz Gameiro Beja Ferreira Rosinha (Vila Franca de Xira)

Joviano Vitorino (Alter do Chão)

Fermelinda Pombo Carvalho (Arronches)

Pedro Namorado Lancha (Fronteira)

Maria Menino Tsukamoto (Nisa)

Mário Atracado Pereira (Alpiarça)

Sérgio Carrinho (Chamusca)

Isaura Maria Elias Crisóstomo Bernardino Morais (Rio Maior)

Carlos Humbero Palácios Pinheiro de Carvalho (Barreiro)

Vitor Manuel Chaves de Caro Proença (Santiago do Cacém)

Augusto Carapinha Pólvora (Sesimbra)

António Rui Esteves Soalheiro (Melgaço)

José Manuel Carpinteira (Vila Nova de Cerveira)

José Artur Fontes Cascarejo (Alijó)

José António Fontão Tulha (S. João da Pesqueira)

Jorge Orlando César de Jesus Romeira (São Vicente)

Aires Fagundes Reis (Calheta)


e a medalha de ouro vai para:


José Manuel Velhinho Amarelinho (Aljezur)

 





[propositadamente de fora deste rol ficam os representantes eleitos para as Assembleias Municipais e Juntas de Freguesia, sob pena deste post não caber na internet.]





Sr. Rocha da Internet @ 16:06

Seg, 12/10/09

 Ai vocês acham que isto acabou?

Meus senhores, agora há que achincalhar o Cavaco. Terminadas as eleições, e segundo os fortes indicadores jugulares nas últimas semanas, o objectivo agora é tentar ridicularizar ao máximo o Presidente da República descredibilizá-lo, etc.

Dou-vos um exemplo.

Cavaco é entrevistado numa inauguração qualquer. A jornalista faz uma pergunta e Cavaco não só diz que não vai falar como logo a seguir espirra.

O que fazer?

Segundo os mais altos critérios de pessoas sensatas e lúcidas na análise política, há que fazer logo um post a criticar o PR não só por não ter falado (das mortes no Burkina Faso, por exemplo) acusando-o de falta de sentido de Estado, como também atacá-lo pelo espirro numa altura em que há um clima de pânico por causa da gripe A.

Chegados a este ponto é preciso saber que tipo de linguagem deveremos usar com uma pessoa como Cavaco. Isto são pormenores importantes para ter uma boa prestação blogosférica, não entendamos isto como hidden agenda, por amor de Deus! É tudo uma questão de lucidez. A linguagem a usar, dizia eu, deve ser clara e inequívoca, ao contrário do discurso imperceptível do PR. Do silêncio, aliás. Ela deve conter expressões como: nojo, ridículo, patético, absurdo, repugnante e, no limite, filho da puta. Não obstante o facto de ser, com todo o mérito - ninguém dúvida - o Presidente de todos os portugueses.






drmaybe @ 19:17

Dom, 11/10/09

É claro que eu estou pela Argentina. O capitão Haddock forneceu-me este quadro mas não encontro Portugal. Tanto melhor!









Filinto @ 10:31

Sab, 10/10/09

Depois de mais uma campanha completamente inútil e offtopic, temos mais um dia para refletir (ou reflectir). Reflictam, ou reflitam, ou pensem... que eu vou ver o Winnie the Pooh.





Sr. Rocha da Internet @ 01:40

Sab, 10/10/09

 

 

foto de r. numa esquina de lisboa





drmaybe @ 19:22

Sex, 09/10/09

Carmona Rodrigues afirmou hoje o seu apoio, bem, não é bem apoio, é só porque tem uma amizade de 43 anos com Santana Lopes. Para dizer a verdade, o apoio nem é político, é pessoal. Depois Santana Lopes disse que sim, que ele o apoiava e que esperava que ele ganhasse, mas não, afinal parece que não foi bem isso o que Carmona disse.

 

"Carmona Rodrigues frisou que não se trata de apoio político, preferindo destacar que os dois têm uma “amizade de 43 anos”, não se falavam há dois, mas que, por circunstâncias da vida pessoal do ex-vereador, voltaram a ser amigos.

Esta manhã, Santana Lopes anunciou aos jornalistas que tinha recebido o apoio de Carmona Rodrigues, (...). “Ligou-me há cinco minutos. 'Podes transmitir o meu abraço de apoio. Espero que ganhes'”, teria dito Carmona a Santana.

"Acho que não disse isso”, afirmou pouco depois Carmona Rodrigues ao PÚBLICO, quando confrontado com esta citação. O actual vereador do movimento Lisboa com Carmona disse que acreditava que as suas palavras pudessem ter sido interpretadas de forma errada por “pessoas à volta de Santana Lopes, que as tentaram valorizar e transformar em trunfo eleitoral”. 

 

Esta tarde, na arruada, questionado sobre o eventual “mal-entendido”, Santana Lopes afirmou que “não mentiu” e que a surpresa que tinha anunciado para hoje de manhã acabou por acontecer à tarde."

(Público)

 




Aurea Mediocritas @ 13:24

Sex, 09/10/09

 

"Nós escolhemos o Mullah Omar!"

Disse ao Erecções, um membro do Comité para Eleição do Nobel da Paz, torcendo nervosamente o seu lenço palestiniano.

 

"Estavamos de acordo e tudo! No principio ainda estiveram em cima da mesa os nomes do Senhor Hugo Chavez e do Senhor Kim Jong Il, mas achamos que era importante aumentar o nível de visibilidade da causa do pobre povo Afegão, que tem porfiado por defender as suas deliciosas e particulares instituições sociais que tanto deram à humanidade."

 

"Não sabemos muito bem como isto aconteceu, tinhamos acabado de beber uma chávena de chá de Tilia orgânica (cultivada e vendida por uma comuna auto-organizada de Hondurenhos, que só colhem a Tília que deu autorização por escrito para o fazer), quando ficamos com um bocadinho de sono e ao acordar o Obama tinha o Nobel da Paz!"

 

"Ora eu nem sou anti-americano nem nada, mas isto cheira-me a imperialismo ianqui!"

 

 

Um representante do Mullah Omar já demonstrou o seu repúdio por aquilo que considera "um roubo inqualificável de uma distinção que pertence ao Povo Afegão", acrescentando que caso o prémio lhes seja posteriormente concedido, será todo dirigido para a Fundação para a Analfabetização das Mulheres Afegãs (FAMA).




Aurea Mediocritas @ 13:23

Sex, 09/10/09

 

 

 

Roubado, título e tudo, ao Facebook do Renato Correia.




Sr. Rocha da Internet @ 13:17

Sex, 09/10/09

Parece que Obama ganhou a cena.

Eu gosto de Obama, não só por ele ser um político moderno como também por ser preto. Isso deixa-me - como dizer? - realizado. Sim, o facto de gostar de pessoas de cor... africanas... de etnia africana... ou isso, faz de mim uma pessoa melhor. Por isso mesmo, fiquei extremamente satisfeito com este prémio por antecipação "não fizeste mas vais fazer".

Aliás, este é, em tudo, um prémio que vem confirmar a linha esquerdista da academia sueca. Pois se há coisa pela qual a esquerdalha foi sempre premiada foi pelos "amanhãs que cantam".

E se acham que este post não tem muito a ver com as eleições, pensem é bem em quem votam porque qualquer dia em vez da miserável Portuguesa estamos todos a ouvir a desprezível Internacional.

 

Nota solta: enquanto escrevo estas linhas, o Presidente Cavaco felicita Obama pelo prémio. No jugular já espumam porque perderam mais uma oportunidade de acusar Cavaco de ser um porco nazi sem sentido de Estado.



erecções em linha
comentários recentes
Este é o muno ue nos criaram! Há que aceitar! Meus...
E diz um pequeno pedaço de electoral goss que numa...
Não é que eu saiba sueco,mas fonte segura disse-me...
Aposto que tive influência nesse resultado extraor...
Estive para por essa musica, mas gosto muito mais ...
Eu serei Lucy no céu com diamantes. Seremos todos.
Sou um poço de poesia.
Chego a emocionar-me quando falas.
Há quem diga que a realidade é a alucinação consen...
O que isto quer significar é que tu podes sair de ...

todas as tags