Sr. Rocha da Internet @ 12:51

Sex, 31/07/09

 No final da década de 60 houve um fluxo migratório de drogados, pretos, paneleiros, algumas mulheres e a Janis Joplin para San Francisco - aquela cidade que tem uma ponte igualzinha à que o Professor Salazar mandou construir para poder descarregar os comunistas na margem sul de forma mais célere e eficaz que o cacilheiro. San Francisco era, então, a cidade onde tudo se passava e para onde todos queriam ir fazer história ou simplesmente para chutar heroína, que no fundo é fazer história, mas adiante.

Também eu vim com um propósito semelhante para Lisboa, heroínas à parte. Abandonei tudo e vim ver por breves momentos a História acontecer. Vim para o centro do mundo por estes dias, onde tudo se passa e onde está o poder. Sim, o poder! O poder dos grandes magnatas, das grandes mentes, dos intelectuais, dos académicos, dos jornalistas e dos bloggers – essa crème de la crème portuguesa – e, acima de tudo, o grande poder politico, esse que aumenta o pénis dos homens e faz crescer o de outros; esse que tudo transforma, tudo dá; esse que alimenta a necessidade de informação ou, melhor, do boato.

A verdade é que está tudo concentrado em Lisboa, o resto não interessa para nada. Podíamos reduzir isto a Sócrates vs. Ferreira Leite e Costa vs. Santana. É esse o cheiro de Lisboa.

Foi nisto que pensei quando aceitei o convite para participar neste pequeno (eh bicho!) espaço de reflexão e pluralidade: vou para Lisboa e assim estou perto dos senhores que estão na politica, das conferências de bloggers, dos jornalistas do Snob - a ver o que dizem eles dos outros jornalistas que estão ou não no Snob -, dos comentadores de televisão e seus substitutos. Enfim, perto do mundo civilizado, esclarecido e moderno. No Porto só estaria próximo de arguidos e deputados europeus.

E pronto, é com este espírito errante e deslumbrado que chego, como Axl Rose no vídeo do Welcome to the jungle e sabendo que estamos num momento em que é preciso promover a economia termino com uma referencia consumista.

O meu nome é Jorge C.. Se podia viver sem erecções? Poder podia, mas não era a mesma coisa.



DG @ 13:34

Sex, 31/07/09

 

Pena a cor de merda diarreica do blog!
Vieste para o citio errado porque aki só há caca, e sêca, pois ninguem apanha os cagalhões dos cães!


Aurea Mediocritas @ 14:12

Sex, 31/07/09

 

Jorge, estamos entumescidos de prazer por estares aqui connosco!


Filinto @ 22:56

Sex, 31/07/09

 

Essa fascinação é similar à de tais eurodeputados e arguidos.

erecções em linha
comentários recentes
Este é o muno ue nos criaram! Há que aceitar! Meus...
E diz um pequeno pedaço de electoral goss que numa...
Não é que eu saiba sueco,mas fonte segura disse-me...
Aposto que tive influência nesse resultado extraor...
Estive para por essa musica, mas gosto muito mais ...
Eu serei Lucy no céu com diamantes. Seremos todos.
Sou um poço de poesia.
Chego a emocionar-me quando falas.
Há quem diga que a realidade é a alucinação consen...
O que isto quer significar é que tu podes sair de ...

todas as tags